Radar Simplex identifica os objetos do desejo do consumidor no ano da pandemia

Maiores altas nas buscas na internet narram a atípica história de um brasileiro enclausurado e seus sonhos de consumo; entre elas, tapetes de yoga ergonômicas, sacos de pancadas e hamsters

Tapete de yoga sacos de pancadas e hamsters – produtos inéditos até aqui no pódio dos campeões de buscas na web – estrearam nas primeiras posições da internet brasileira este ano em função das restrições impostas pelo confinamento obrigatório em boa parte das cidades do País. É o que apurou o Radar Simplex, nossa plataforma que usa inteligência artificial para captar essas tendências indicadas pelas pesquisas feitas on-line.

Para um ano atípico, é natural que as buscas na web também sejam atípicas”, comenta João Lee nosso fundador. Segundo ele, ao analisar os principais itens buscados por consumidores brasileiros desde janeiro fica claro o impacto da pandemia nos seus hábitos. “As pegadas deixadas na internet em 2020 provam que, de fato, o brasileiro enveredou-se por novos caminhos, talhados pelos sonhos e frustrações impostos pelo isolamento social e pelas restrições de uma vida limitada ao espaço da sua casa”, resume.

Confira abaixo as principais altas de busca nos últimos doze meses captados pelo Radar Simplex.

Janeiro e fevereiro – guarda-roupas e stand up padle

Em um momento pré-pandemia, o guarda-roupa é o item ideal para quem quer começar bem o ano com a resolução de organizar a bagunça. A procura pelo item é 240% maior que a média dos 12 meses anteriores. Ante a temporada das férias, também o standup padle está no radar, com buscas 79% acima da média mensal.

Março – delivery e supermercado

Acirram-se em 400% as pesquisas por delivery, supermercado e compras on-line na eclosão da pandemia em comparação com os meses anteriores. Máscaras de proteção registram suas primeiras aparições (49% acima da média), assim como álcool (923%).

Abril – cadeira de escritório, tapete de yoga e ovo de Páscoa

Com muitas cidades aderindo ao lockdown e as empresas ao home office, a demanda mira as cadeiras de escritório, chocolates (650%). Tapetes de yoga (240%) e corda de pular (230%) ganham relevância.

Maio – fogão de 4 bocas, cadeiras de escritório e cachorro

Cresce a procura por fogão 4 bocas por quem passou a cozinhar em casa (81%). Intensifica-se a pesquisa por cadeiras de escritório (52%), mesas (32%) e escrivaninhas (100%) em seus vários formatos.  Consumidores acalentam, ainda, o sonho por cachorros (100%).

Junho – sacos de pancada

Confinados, brasileiros se veem obrigados a gastar suas energias em espaços restritos. E caçam na web itens como sacos de pancada (115%).

Julho – televisores

Sem opções de lazer, em pleno inverno, a TV se torna o principal objeto de desejo (124%).

Agosto – máscaras de proteção e hamsters

Agora obrigatórias nos espaços públicas, irrompe a procura por máscaras de proteção (alta 246%). Com os enclausurados mais realistas ante às limitações do seu espaço, os hamsters são os pets da vez (250%).

Setembro – preços, arroz e óleo de soja

A forte – e brusca – alta nos preços dos alimentos no mês leva o consumidor a vasculhar a web por melhores preços (200%), em particular os de arroz (870%) e de óleo de soja (430%).

Outubro – a volta do stand up padle

O anseio por esportes ao ar livre e o sonho de futuras férias levam consumidores a, novamente, visitarem as ofertas de stand up padle (79%).

Novembro – Playstation 5 e pneus

O Playstation 5 é líder absoluto em buscas no mês da Black Friday. As buscas pelo console de games nas semanas da maior temporada de promoções do ano foram seis vezes mais numerosas do que as que acontecem em períodos normais. Também os pneus atraíram mais pesquisas (60%) que em outros momentos, já que brasileiros voltam gradualmente ao trabalho tradicional e evitam usar o transporte público.

Dezembro – máscaras e tenders

Com o repique da pandemia, as máscaras retomam a liderança nas buscas da internet, assim como os pneus. De olho nos preparativos de Natal, consumidores investigam o preço de tenders (700% em relação ao início de dezembro de 2019).